sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Sepia fecha o ano com Lost In The Vault Vol.2


Nem todas as surpresas são boas, mas quando o são não existe melhor sensação, e a inesperada noticia do lançamento de um novo Ep por parte de Sepia, encaixa nessa categoria na perfeição! 

Intitulado "Lost In The Vault Vol.2", este chega-nos em exclusivo via bandcamp e vai do Dubstep ao Trap, ao Ambient e ao Garage.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Version Collective lança Certified Organic 2


Apesar de 2016 já estar ao virar da esquina, as novidades não para de chegar, sendo que uma das grandes responsáveis da pelo nome de Version Collective

Reconhecida como uma das boas surpresas de 2016, a Version Collective não podia fechar o ano, sem puxar pela cultura soundsystem uma vez mais, vai dai chamou familiares e amigos, para assinar o segundo volume da bem sucedida "Certified Organic". 

Ladeada de nomes como BunZer0, ARtroniks, Drew’s Theory e Murk, VCC002 conta ainda com uma mão cheia de novos valores, numa coalisão que busca trazer o melhor do espectro deep e dirty até nós. 


domingo, 25 de dezembro de 2016

Knowledge 290 - Dubamine



"Todo o conhecimento é uma resposta a uma pergunta." 
(Gaston Bachelard) 

Esta semana recebemos no Knowledge Dubamine.


domingo, 18 de dezembro de 2016

Knowledge 289 - 808 The Movie



"Não há conhecimento que não tenha valor." 
(Edmund Burke) 

Esta semana dedicamos o Knowledge, a mítica 808, num documentário assinado por Alexander Dunn e com a participação de nomes como Arthur Baker, Afrika Bambaataa, Goldie, entre outros.



https://movietv.unlockproject.space/808-2/

sábado, 17 de dezembro de 2016

Nv 155 - Ebb


Após um prato de lámen e uma bela dose bass, estamos prontos para nos fazer a estrada, rumo a Nova Zelândia, para conhecer melhor Ebb. 

Natural da sempre activa Christchurch, Ebb é o mais recente talento a emergir dos kiwis. Dono de uma produção assente numa fusão crua de Grime, Dubstep e Techo tribal, que lhe valeu o apoio de nomes como Mumdance, Keysound e Nomine, Ebb promete sem duvida, ser um dos nomes a ter em máxima atenção em 2017.




sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Taiko lança Jelly Bots via White Peach


É já na próxima segunda-feira, que estará nas lojas "Jelly Bots EP", o novo trabalho do talentoso produtor de Sheffield, Taiko. 

Sucessor de "Flummox" e "Splinted", o novo trabalho de Taiko inclui 4 faixas, a saber "Absent Kind / Jelly Bots / Never Again / There Dem" e sairá com o selo da loja / editora White Peach Records.

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Kromestar fecha o ano com System Test / 3-D


"System Test / 3-D" é o novo maxi single de Kromestar e o trabalho com o qual o produtor inglês, encerra com chave de ouro um ano especialmente inspirado e produtivo, que incluiu também o lançamento de "The Progress EP" e do seu terceiro álbum de originais "MCMLXXXII". 

Já disponível via Nebula Music Group, "System Test / 3-D" define-se como um híbrido situado algures entre o Dubstep clássico, o Trap, o 8-Bit e Grime, com influencias de sci-fi e retro games.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Knowledge 288 - Inyoka



"Num tempo de mudanças drásticas, são os que aprendem que irão possuir o futuro. Os cultos geralmente encontram-se equipados para viver num mundo que já não existe."
(Eric Hoffer)

Esta semana recebemos no Knowledge Inyoka.




sábado, 10 de dezembro de 2016

Moonshine lança Ruling Sound de Bukkha


Bukkha é o pseudónimo, do produtor norte-americano sediado em Valladolid, Evert Cristoff e "Ruling Sound" é o seu primeiro single a sair pela Moonshine Recordings.

Depois de ter assinado este ano trabalhos pela Dub-Stuy Records e Killa Sound, Bukkha chega a Moonshine, ladeado nada mais nada menos, do que pelo Don Junior Dread e por Skelli Skell do colectivo PDX Mandem, isto sem contar com TMSV na remistura.

Já disponível tanto em vinil como em digital (como é apanágio da editora), desde 9 de Dezembro, MS028 é a prova perfeita do excelente trabalho que a Moonshine e Bukkha.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Nights e Charlux assinam NSX002


O nosso destaque para esta semana, cai sobre o maxi single "Nights VS Charlux", dos emergentes e homónimos Nights e Charlux.

Para os mais distraídos, Nights e Charlux são dois dos projectos Grime mais promissores, a emergirem das ilhas britânicas e Estado Unidos nos últimos tempos, e os grandes responsáveis pelo segundo lançamento da editora inglesa NSX.

Limitado a 200 unidades carimbadas a mão, "Nights VS Charlux" traz-nos um visão muito própria da cena Grime, ao mesmo tempo que tenta desvendar o que o futuro nos pode trazer.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Knowledge 287 - Tokyo Bass



"A sabedoria deve ser alimentada com todo tipo de conhecimento, é ampliando os horizontes que conhecemos melhor os que estão ao nosso lado." 

Esta semana o Knowledge é dedicado por inteiro a Tokyo Bass!


sábado, 3 de dezembro de 2016

Nv 154 - Dayzero


Após uma jornada de seis meses pelo velho continente, os Nv viajam agora até a Ásia, para conhecer Dayzero

Natural de Okayama (Japão), Dayzero é cada vez mais uma certeza! Dono de uma abordagem e produção em constante evolução, que nos deixa sempre com agua na boca, Dayzero conta já com trabalhos lançados por editoras como Encrypted Audio, FatKidOnFire e Phantom Hertz, bem como o apoio de nomes como Goth Trad, Sleeper, N-Type, BunZer0, entre outros.




sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Cosmic Bridge lança Cosmology Vol.3


Considerada por muitos, como uma das editoras mais interessantes a surgir nos últimos tempos, a Cosmic Bridge de Om Unit, assinala este ano cinco anos de actividade, para celebrar a ocasião, liberou o muito desejado terceiro volume da compilação "Cosmology". 

Classificada por Om Unit como "the best Cosmology yet for me", "Cosmology Vol.3" reúne alguns dos artistas que constam do seu catálogo, tais como Moresounds, J:Kenzo, TMSV, Kromestar, Graphs, Dj Madd, Danny Scrilla, isto para além de faixas do próprio Om Unit, numa viagem que vai das paisagens sonoras carregadas de baixos pesados, ao dubwise e a electrónica.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

6 Dias 7 vozes - 2016


Aproxima-se o fim do ano e com alguma nostalgia, esta é também a altura mais propícia para tal e qual, qualquer estabelecimento comercial, começar a avaliar o ano que passou, e fazer o balanço & inventário do que ficou para trás.  

Vai dai convidamos 7 membros da família bass nacional, a dar-nos o seu feedback e a fazer um pequeno balanço do universo Bass em 2016.


Take a step to Dub - Boas 3WA, que analise fazes da cena Dubstep em 2016?

3WA - Ao longo destes últimos anos, o Dubstep tem sido saturado com tanta musica, que o pessoal se cansou e virou para outra vertente.  Quem sentia de verdade as basslines com um sub potente em 140 bpms ficou, quem estava só pelo hype e foi para outra coisa… agradeço, fizeram com que o Dubstep voltasse as origens.

Este ano ouvi tantas releases com grande qualidade de produção musical, e coisas diferentes umas das outras, este ano acho que houve diversidade, por isso o Dubstep está bom de saúde e recomenda-se! 

TSD - No teu entender, quais foram os nomes e trabalhos(álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o ultimo ano?

3WA - Ui tanta coisa que de certeza me vou esquecer de algo, mas aqui fica alguns nomes de EP’s e artistas(sem ordem) : 

Bukez Finezt - The Main Rule/Unknown Force (Deep Medi)
Samba - Malignat EP (Crucial Recordings) e o EP dele na Encrypted Audio.
Foamplate – Tabula/Deadly Habit (Plantpower) 
Causa & Shu – Dubhelmet EP (Infernal Sounds)
Sepia - Remenber (Infernal Sounds)
Von D/Egoless – Analog Sound/Bubble Beat (Scrub a Dub)
Moonstones – Mutations EP (Gourmet Beats) e Moonstones  - Yen Pox/Inland (Crucial Recordings)
RDG & Gaze Ill – Keepin It Real (Cue Line Records)
Ago – Blacklas EP (Subaltern Records)

E um que ainda vai sair em Dezembro: Karma-Terrorist/Cha/Vacant Mind (Innamind Recordings)

Fora o resto que me esqueci de certeza…

TSD - O que esperas para 2017?

3WA - Espero que se mantenha assim, mas aqui no pequeno Portugal espero que abram os horizontes e apostem no Dubstep, desde que as estejam na festa se sintam bem e gostem do ambiente e da musica, por mim tudo bem.

É mais um desejo isto, mas sonhar é viver. :)


Porque não há cena sem fãs e publico, esta semana desafiamos o Marcelo Oliveira e Eduardo Martins a analisar 2016. 

Take a step to Dub:

Que análise fazes da cena Bass em 2016? 


No teu entender, quais foram os nomes e trabalhos (álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o ultimo ano? 

O que esperas para 2017? 

Marcelo Oliveira - De 2016 a primeira coisa que me vem a cabeça, é que isto esta a ficar estranhamente bom. O álbum do Commodo, o estabelecimento de editoras como a Crucial e a Encrypted Audio, bem como a continuidade da ArtiKal, da Innamind e Deepmedi puxaram o som a novos horizontes, sendo que em 2017 não me parece que isto vá abrandar. 

Eduardo Martins - Em termos da cena Bass, sou um pouco mais virado para cenas mais "housey", portanto inclino-me mais para um UKGarage 4x4, sendo que este ano gostei das produções de projectos como Clean Bandit, Valk ou Selidos, por outro lado o 12" de Burial(Young Death) que sai agora no final do ano, também me deixou bastante agradado. Para 2017 só posso esperar que a qualidade e força continue, e que aqui em Portugal também existam mais eventos com este tipo de som.

De Coimbra para o mundo via Rádio Universidade de Coimbra e esta semana para o Take a step to Dub, Dubplate

Take a step to Dub - Boas pessoal, que análise fazem do universo Bass em 2016? 

Dubplate - 2016 foi um ano positivo para o Dubstep e para o Grime, com óptimos novos trabalhos a sair e várias editoras a marcarem a sua posição de modo muito positivo. 

TSD - No vosso entender, quais foram os nomes e trabalhos (álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o ultimo ano? 

D - A editora que mais nos surpreendeu foi a Innamind, com o lançamento dos 12'' do Mikael e do Las e do mítico “Terrorist” do Karma que já está em pre-order, a Crucial Recordings, também nos marcou, editora para a qual 2016 foi um ano marcado por lançamentos cheios de qualidade. 

O “FABRICLIVE 90” da dupla Kahn & Neek consegue certamente representar este ano no que toca a dubplates e novidades no Dubstep, assim como a compilação “Grime 2016” da Elijah & Skilliam consegue representar fielmente o Grime. 

Obviamente também não podemos deixar passar as boas novidades no mundo do Grime, onde destacamos claramente o intemporal “Konnichiwa” do Skepta, álbum que claramente ficará sempre na história e o “Iceman/Box” do The Bug, que consideramos o melhor 12'' deste ano de 2016. 

Também temos que mencionar a noite 10 years of Deep Medi Musik, dado que foi um marco histórico para o Dubstep. bem como referir Mr. Fr0g e Adam Vyt, grande LP deste ano, super energético e com grandes remisturas de bangers, transformadas em bangers ainda maiores (em particular a "Let Me Love You for Tonight", da Kariya, pelo Vyt assim como da "Jam", original do Michael Jackson), é um regresso à euforia dos finais de 90. 

Outro a ser destacado é o EP "Groovepressure 13", os A², depois de uma pausa desde 2004 e com um lançamento no ano passado ("Resurgence EP"), regressaram este ano com breaks modernos e reinventados, sem nunca se dissociar da raiz de onde cresceram, mantendo-se também fiéis à escola dos 90s, mas à sua maneira, muito própria. 

Por fim, o "Shred LP" de Skee Mask, lançado este ano, mais focado na repetição do techno, mas com tentativas de desenjoar , implementando alguns temas com raízes de breakbeat ou que simplesmente tentam abalar a típica estrutura do techno, aqui é mitigada a linha que divide a sua repetição das quebras do breakbeat, sempre com um ambiente negro e envolvente, com destaque para o tema "Shred 08". 

TSD - O que esperam para 2017? 

D - Esperamos que 2017 seja ainda melhor que o presente ano. 
Se for capaz de se manter na mesma linha também ficaremos muito satisfeitos.



 Para esta semana, convidamos o pessoal do Mais Baixo, assumir a batuta e analisar 2016.

Take a step to Dub - Boas pessoal, que análise fazem da cena Bass em 2016?

Mais Baixo - Mais um ano extremamente positivo para a cena bass portuguesa, sendo que no início do ano lançamos a complicação "Portuguese Deep Frequencies Vol.2", que é prova disso mesmo.

TSD - No vosso entender, quais foram os nomes e trabalhos (álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o ultimo ano?

MB - 

Dubstep
Versa - Dub of Existance (System)
Sir Spyro - Topper Top (Deep Medi)
LAS - Gunfam / This Morning (Innamind)
JKenzo - Battlefield / Zbuntu Shake (Artikal)
Malleus & Saule - Bad Kids EP (Gourmet Beats)

Other
TMSV - Over Out
Fixate - March On
DJ Madd - Shinobi EP
Neurotoxin - Vitrification EP 
VA - OM Unit presents Cosmology Vol.3

TSD - O que esperam para 2017?

MB - Vamos entrar em grande, a começar com um programa na bi-mensal na Sub.FM quartas das 18H-20H.


Take a step to Dub - Boas Buster, que análise fazes da cena Dubstep em 2016?

Buster - Ora boas!

Antes de mais nada, acho que cada vez mais a música que ouvimos e gostamos, não está generalizada na palavra Dubstep nem numa determinada "cena", mas no momento abrange um espectro bem variado de sonoridades onde os BPM e os basslines são o factor comum.

Deep Bass music??Soundystem music?? Talvez sejam denominações mais correctas para este tipo de som, que mais recentemente  cresceu a partir do Dubstep e se desenvolveu em diferentes direcções.

 2016 foi um ano onde isso aconteceu mais intensamente, com produtores como o Commodo,Kahn,DMVU,Fill Spectre,Spacenoise,Ill-K a produzirem música à qual se pode chamar Dubstep, mas que ao mesmo tempo é algo completamente novo.

Na minha opinião, 2016 foi um ano onde o hype por este tipo de som diminuiu bastante e fez com que todos os que realmente apreciam estas sonoridades,continuem a contribuir para a mesma,seja a produzir, a tocar ou simplesmente apoiar os artistas e editoras.

TSD - No teu entender, quais foram os nomes e trabalhos (álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o último ano?

B - Houve  vários lançamentos este ano que me chamaram a atenção, demasiados até para mencionar aqui todos, mas aqui fica o meu top 5:
KAIJU - Seven Sins LP - DeepMedi
V/A - System Sound EP - System Music
TRUTH - The Devil's Game EP - Deep,Dark and Dangerous
OXOSSI - Solace - Crucial Recordings
FLOWDAN - Horror Show Style EP - Tru Thoughts

TSD - O que esperas para 2017?

B - Muito boa música e que se continue a fazer música neste género, sempre a tentar levar as coisa um passo à frente duma maneira positiva, para que todos aqueles que a ouvem sintam que não está estagnada e sintam curiosidade pelo que vem a seguir.


Trinta e um dias depois, a nossa dissecação chega finalmente ao fim, mas não sem antes receber a malta da Substruct!

Take a step to Dub - Boas, que análise fazem do universo Bass em 2016?

Substruct - Por cá considerámos o ano de 2016 uma espécie de ano de mudança, a transformação natural que trás a diversidade que é necessária para o bem estar da scene ao qual espero que continue. No que nos toca a nós, utilizamos o ano de 2016 para redefinir a nossa marca e objectivos a fim de continuar a oferecer sonoridades únicas ao universo bass, e não só. 

TSD - No vosso entender, quais foram os nomes e trabalhos (álbuns, Eps, 12", etc), que mais se destacaram durante o ultimo ano?

S - Sem qualquer ordem de preferência: 

Bass
Ago - Backlash EP
Silkie - It Wasn't You EP
Swindle - Connecta EP
Chord Marauders - Groove Booty 4
Sorrow - Arisen EP
Kaiju - Seven Sins LP
Commodo - How What Time LP
Kercha - Into The Wild LP

Outros
Anderson Paak - Malibu LP
Flume - Skin LP
Sam Gellaitry - Escapism I / II EP
Geotheory - Tales Untold EP
Starro - Monday LP
Made in M & Juan Rios - Sumergido LP
Monma - WakeUp LP
Kendrick Lamar - Untitled Unmastered
DMVU x Ill Chill - Green Tape 

TSD - O que esperam para 2017?

S - Nós temos-nos portado bem, portanto vou deixar aqui a nossa wishlist:

- Um venue em Lisboa que esteja disposto a apostar na bass music, visto que tem sido quase um inferno para conseguir organizar algum evento digamos, grande. Não sabemos o que têm pensado as pessoas, mas vontade é coisa que não falta. 

- Mais boa música, mais diversificação.

Agora, o que podem esperar de nós para 2017 é um pouco mais promissor, este ano tivemos mais parados porque estivemos a preparar-nos para 2017. 

Por agora podemos apenas dizer que iremos apresentar o LP de estreia de Gerwin, num álbum sem regras que conta com colaborações com produtores bastante conceituados, cantores/as, instrumentistas, etc, não se preocupem, vai sair em vinil! Para além disto ainda temos mais 2 LP's a cozinhar, mas isso ficará para outra oportunidade. 

Muito obrigado pelo convite e boas entradas/saídas.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

White Peach lança Brawler de Sorrow


Tal como havia sido noticiado a pouco mais de um mês, o produtor inglês Sorrow, acaba de lançar o seu novíssimo trabalho intitulado "Brawler". 

Editado pela independente White Peach Records, "Brawler EP" assume o Grime em Sorrow, onde apesar da aparente complexidade e intrincada produção, o resultado final acaba por ser de audição fácil e prazenteira.

domingo, 27 de novembro de 2016

Knowledge 286 - Dubkasm



"O atractivo do conhecimento seria pequeno se no caminho que a ele conduz não houvesse que vencer tanto pudor." 
(Friedrich Nietzsche) 

E com enorme prazer, que esta semana voltamos a receber no Knowledge, Dubkasm.



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Freebies à la carte 05 - Inyoka


Para quê perder tempo com a Black Friday, quando hoje temos Inyoka nos Freebies à la carte! 

Hi, I am Inyoka and I thoroughly enjoy... creating music, cooking, and traveling. 

Two things I can’t stand the most are... people that are unwilling to explore new ideas, and any form of art that only exists for monetary purpose. 

5 years ago, I was into... basically the same things as I am into now, writing a lot more guitar songs though, which has since taken a backseat to my electronic music, I have hours of instrumentals written and recorded that I have never shared, but I hope to at some point. 

My best spent 10 bucks...  was in records. I’ve found tons of cheap 12” and 7” gems from just digging in local record shops, antique stores, and yard sales, etc.; you never know what you’ll find. 

My personal inspirational anthem is... “Turn It On Again” by Genesis – everything about this song is amazing; the riffs, the lyrics, the time signature; truly one of the most moving songs I have ever heard. 

My first attempt at making music was... writing songs on guitar as a teenager and performing with a band in my hometown (Roanoke Rapids, NC -USA). Concerning electronic music, I used to record and chop bits from old vinyl records and build beats from collected samples inside some basic computer software until I discovered more modernized means! 

Before I start a new track, I absolutely have to... pick a tempo and set up all return channels, specifically reverb design, I always construct a definite “space” out of my reverb return to send certain drums, vocals, and synths, etc. in order to build upon a certain atmosphere. Going further, I almost always use automation to manipulate the reverb to play tricks on the listener’s ear. 
One of my most recent tracks, “Turbines”, is a great example of this method. 

My music never... follows a trend. I don’t mind following a basic formula or layout when building a tune, but the sounds I create are always a product of my own experimentation; careful distortion and EQ plays a HUGE part in my sound.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Biome apresenta View From The Edge


Suspeitávamos que mais cedo ou mais tarde, Biome estaria de volta ao mundo dos 140bpms, e eis que chega até nós logo neste fim de ano, a confirmação sob a forma de um novo EP intitulado "View From The Edge", que será colocado à venda a partir do dia 25 de Novembro, numa edição da filial On The Edge da Deep Heads.

De destacar ainda, que para além das três "bombas" sub-atmosféricas, o EP ira contar com uma mix (digital-only), onde Biome showcases o passado, presente e futuro da On the Edge Records.